UBUNTU: Sou quem sou, porque somos todos nós


No Festival Mundial da Paz, em 2006, em Florianópolis, a jornalista e filósofa Lia Diskin, diretora da Associação Pallas Athena, em São Paulo, relatou uma história exemplar que ficou conhecida pelo nome de Ubuntu.

Narra a história que um antropólogo estava estudando os usos e costumes de uma tribo africana e, quando  terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto de volta para casa. Sobrava muito tempo, e ele decidiu propor uma brincadeira para agradar as crianças da aldeia. Comprou uma quantidade de doces e guloseimas na cidade, pôs tudo num cesto bem bonito, com laço de fita e tudo, e colocou debaixo de uma árvore. Aí,  chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse “já!”, elas deveriam sair correndo até o cesto. Quem chegasse primeiro ganharia a cesta com todos os doces que estavam lá dentro.

As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse “já!”, todas   as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comerem felizes.

O antropólogo perguntou porque tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces.

Elas simplesmente responderam: “Ubuntu, tio. Como uma de nós  poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?

Ele ficou desconcertado! Meses e meses trabalhando nisso, estudando a tribo, e ainda  não havia compreendido, de verdade, a essência daquele povo. Se tivesse, jamais teria proposto uma competição.

Ubuntu, na língua da tribo,  significa: “Sou quem sou, porque somos todos nós!”

Atente para o detalhe: porque SOMOS, não pelo que temos…O espírito de unidade que no Ocidfente costumamos chamar de “espírito de equipe”, é o que determina a máxima vitória em toda relação humana. Quando estamos todos imbuídos de um mesmo propósito, somos mais que a soma dos nossos esforços individualizados. Compreender que nossa felicidade é resultado da felicidade coletiva é um estado de sabedoria.

Comentários

comentários

4 ideias sobre “UBUNTU: Sou quem sou, porque somos todos nós

  1. ionice lima vilaça

    Extremamente tocante! Retrata a unidade da qual Jesus diz que a igreja precisa ter! Devemos considerar os outros superiores a nós mesmos. Tenho divulgado esse relato a meus amigos, eles também tem sido tocados. Viver é se despir de seus conceitos e preconceitos e aprender com pessoas as quais muitas vezes achamos que não tem nada a nos oferecer. Que Deus continue dando a você e a todos nós outros exemplos de vidas que nos ensine a buscar a humildade e que as barreiras culturais possam cair por terra.

  2. Luis Pellegrini Autor do post

    Olá Marta, com certeza vou te mandar um arquivo com o texto dessa história. Ela é mesmo exemplar. Simplesmente destrói o conceito da competitividade neurótica que caracteriza a nossa sociedade. Abração.

  3. Marta Lúcia Pereira Vieira

    Tem momentos que fica difícil continuar a acreditar no “SER HUMANO”.
    Lendo hoje essa matéria, me delvolve a vontade de continuar acreditando que ainda existem SERES ENTRE OS “HUMANOS”, que são uma VERDADEIRA LIÇÃO DE VIDA.
    Luis, quero muito mostrar essa MATÉRIA para os professores na Escola que trabalho.
    É pedir muito me enviarem por e-mail em arquivo para que eu possa imprimir e entregar para cada professor?
    Sou péssima em computador.Não sei salvar como está no blog.
    obrigada
    Marta Lúcia

  4. Margareth Félix

    Nossa, que lição. Ao mesmo tempo que fiquei a imaginar a belíssima imagem das crianças correndo de mãos dadas. Comovente!

    Obrigada por compartilhar essa história conosco, Luis.

    Um abraço!

Comente