7 de agosto – Que venham as mudanças!

Imagem da estrela hipergigante vermelha V838 Monocerotis, da constelação Monoceros, situada nos confins da nossa galáxia, a Via Láctea. Belíssima, mas apenas uma das bilhões de estrelas existentes. Foto Telescópio Hubble, NASA.

Os comentários astrológicos sobre a curiosa configuração do atual período, com relevância para o mapa do dia 7 de agosto recém passado, monopolizaram a atenção de um grande número de leitores do blog durante as últimas semanas.

Do ponto de vista da astrologia – ciência que estuda o significado das relações entre o movimento e as posições dos planetas e tudo aquilo que acontece na Terra e na vida dos homens – o desenho formado no céu pelos astros nos dias que correm é realmente ímpar. Os citados textos tentam lançar alguma luz sobre o que ele poderia significar. Grande número de astrólogos opina que essa configuração representa um “gatilho” para um processo de importantes mudanças que poderão ocorrer na própria estrutura da nossa civilização. Ou seja, um novo modelo civilizatório estaria na iminência de aparecer.

Como bem indaga o próprio título de um dos posts, “7 de Agosto – O fim de um mundo?”, fala-se aqui do nosso mundo, o mundo dos humanos, como ele está atualmente organizado. Em nenhum momento os autores desses textos referem-se a um “fim do mundo”, um apocalipse com catástrofes naturais, guerras. Nada disso.

Esses posts bateram recordes de audiência. Calculo que só no meu blog aconteceram uns vinte mil acessos por causa deles. E provocaram algumas centenas de comentários. Eles são de todos os tipos. Vários leitores escreveram para dizer que, já que o atual momento astrológico é favorável a mudanças, eles aproveitaram a deixa e desencadearam em suas próprias vidas processos de mudanças que se faziam necessárias. Parabéns! Isso sim  é usar de forma positiva as indicações que a astrologia dá. Que todas essas mudanças sejam coroadas de sucesso.

Outros leitores mostram um interesse mais de tipo cultural, querendo saber mais sobre como é possível que a posição dos astros no céu tenha algo a ver com nossa vida na Terra. A esses, aconselho que estudem um pouco de astrologia. Ela é uma das ciências mais antigas criadas pelo homem, e vale a pena a gente saber algo do raciocínio astrológico.

Outros leitores ainda enviaram, ontem e hoje, comentários nos quais revelam sua decepção e frustração ao abrir os jornais e os portais internet no dia 7 de agosto e verificarem que nenhuma catástrofe maior tinha acontecido no mundo – além daquelas que acontecem todos os dias… Alguns desses comentários são bem desaforados, e outros continham até palavrões (estes foram todos parar na lixeira).

Mas, como já disse, em momento algum os autores dos posts fazem referência a catástrofes de qualquer tipo. Fala-se apenas da possibilidade de transformações. E por que uma transformação tem de ser, necessariamente, catastrófica ou negativa?

Enfim, 7 de agosto passou. No que me diz respeito, faço realmente votos para que meus amigos astrólogos estejam certos, e que realmente os astros estejam a indicar mudanças. Nosso mundo de hoje, este mundo doido da produtividade e do consumismo insustentáveis, e de tantas outras mazelas, não tem condições de durar para sempre. Que venha, portanto, um novo modelo de mundo, mais inteligente, mais saudável, mais equilibrado e feliz!

Comentários

comentários

Comente